Edit Content

grupo de artes

Investigador Responsável: Francisco Paiva

grupo de comunicação e media

Investigadora Responsável: Gisela Gonçalves

Siga-nos:

NEWSLETTER

Publicação de Comunicação

A REPUTAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E OS MEDIA — OS CASOS BES E NOVO BANCO

As organizações estruturam-se pela comunicação, segundo processos simbólicos de criação e produção de sentidos. Tal significa que a comunicação é o núcleo essencial  e estratégico de qualquer organização. Mais ainda, quando as organizações atuam em mercados muito competitivos, como é o caso das instituições bancárias, que estão particularmente expostas. Uma parte importante da reputação das organizações depende, assim, da comunicação que produzem e da imagem que os mediatransmitem delas. 

A presente obra explora as perspetivas teóricas que o conceito de reputação assume, ao mesmo tempo que analisa as práticas discursivas das organizações e os processos de construção de sentido que estrategicamente edificam no âmbito dos seus relacionamentos com os media. Neste contexto, procura perceber-se como é construída a reputação das organizações e de que forma os seus processos são afetados (ou influenciam) pela ação dos media. Os casos BES e Novo Banco, pela relevância social e mediática que assumiram, são aqui analisados, com base num conjunto de critérios que observam as suas exposições públicas através dos media e o impacto que estes tiveram na reputação daquelas duas organizações.

AUTORES / EDITORES

João Figueira

COLEÇÃO

Livros LabCom

ANO DA EDIÇÃO

2018

ISBN

978-989-654-414-0

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to DearFlip WordPress Flipbook Plugin Help documentation.

Índice

Introdução - 13

Parte I - Reputação e Agir Organizacional - 21

1. Reputação - 23
1. 1 Caraterísticas da reputação - 25
1.2 Identidade e imagem - 27
1.3 Pensamento análogo e pensamento diferenciado - 34
1.4 O agir organizacional na construção da reputação - 35

2. Organizações e Práticas Discursivas - 39
2.1 A linguagem como poder - 41
2.2  O “sentido” do discurso - 43
2.3 Toda a análise é “uma construção de uma construção” - 45
2.4 Discurso-Organização - 49

3. A Construção de Sentido Através dos Media - 53
3.1 Transformar a realidade em notícia - 55
3.2 As organizações como fonte noticiosa - 57

4. Assessorias e Relações Públicas - 59
4.1 As fontes profissionais na produção noticiosa - 60
4.2 Relacionamento estratégico - 66
4.3 Influência das fontes profissionais - 69
4.4 As notícias como coprodução entre fontes e jornalistas - 71
4.5 Ubiquidade da informação - 77
4.6 Mudanças em toda a linha - 81

Parte II - Os casos BES e Novo Banco - 85

5. O colapso do BES - 93
5.1 Relações complexas entre jornalistas e RP - 97
5.2 Especificidades do setor bancário - 101
5.3 BES antes da crise: Comunicação e marketing de prestígio - 103
5.4  Metodologias de análise e critérios de avaliação da reputação - 109
5.5 Crise do BES: análise de reputação - 115
5.6 Reputação mediática do Novo Banco - 121

Conclusões - 137

Bibliografia - 141
cima
PT