Edit Content

grupo de artes

Investigador Responsável: Francisco Paiva

grupo de comunicação e media

Investigadora Responsável: Gisela Gonçalves

Siga-nos:

NEWSLETTER

EMaDeS- Energia, Materiais e Desenvolvimento Sustentável – Work Package 4 (WP4)

SITE DO PROJETO

http://www.emades.ubi.pt/

ORÇAMENTO

1.377.090.00€

NÚMERO DO PROJETO

-

CÓDIGO DA OPERAÇÃO

-

PARECER DA ENTIDADE AVALIADORA

-

DOMÍNIO CIENTÍFICO PRINCIPAL

Ciências Sociais

Área Científica Principal

-

Sub-área da Área Científica Principal

-

Área Científica Secundária

-

Sub-área da Área Científica Secundária

-

Investigador Responsável (IR) do projeto

Anabela Gradim

Co-Investigador Responsável (co-IR) do projeto

-

Equipa de Investigação

Anabela Gradim (Coordenadora), João Canavilhas, João Carlos Correia, Paulo Serra, Carla Sousa

Breve descrição do projeto

O EMaDeS – Energia, Materiais e Desenvolvimento Sustentável trata-se de um projeto de investigação que, através de processos altamente inovadores, pretende aumentar o conhecimento científico nas áreas relacionadas com a energia, materiais e desenvolvimento sustentável e, posteriormente, transferir o saber gerado para o tecido industrial da Região Centro, contribuindo, assim, para melhorar a produtividade e competitividade das indústrias desta zona do país.

Sumário

O EMaDeS – Energia, Materiais e Desenvolvimento Sustentável trata-se de um projeto de investigação que, através de processos altamente inovadores, pretende aumentar o conhecimento científico nas áreas relacionadas com a energia, materiais e desenvolvimento sustentável e, posteriormente, transferir o saber gerado para o tecido industrial da Região Centro, contribuindo, assim, para melhorar a produtividade e competitividade das indústrias desta zona do país. Este programa, que se desenvolve na Universidade da Beira Interior (UBI), possui as seguintes linhas de investigação: RL1 – Melhoria da Eficiência Energética em Sistemas e Máquinas; RL2 -Materiais Avançados; RL3 – Otimização do Produto e Inovação Tecnológica Incluindo Recursos Endógenos Além disso, inclui ainda um outro eixo de pesquisa que está relacionado com a Comunicação de Ciência, divulgando-se, desta forma, os objetivos, atividades, progressos e resultados do projeto, junto dos seus três públicos-alvo, nomeadamente comunidade académica, público em geral e indústrias e empresas da Região Centro. Teve início no ano de 2017 e prolonga-se até 2020, envolvendo três unidades de investigação da UBI, respectivamente o Centre for Mechanical and Aerospace Science and Technologies (C-MAST), em colaboração com o Fiber Materials and Environmental Technologies (FibEnTech) e LabCom.IFP – Communication, Philosophy and Humanities. O programa é apoiado por verbas comunitárias inscritas no Portugal 2020.

Objetivos

Objetivo Geral: Aumentar a capacidade científica e tecnológica da equipa do projeto e da pesquisa efetuada na UBI e no Centre for Mechanical and Aerospace Science and Technologies (C-MAST) através do reforço da equipa e formação de especialistas altamente qualificados nas três áreas estratégicas de desenvolvimento (Materiais, Energia e Desenvolvimento Sustentável do Produto), alinhada com as prioridades de especialização inteligente para a Região Centro, aumentando significativamente a produtividade nessas áreas, criando o know-how tecnológico para produzir o impacto social de acordo com as diretrizes do H2020 e melhorar a divulgação e comunicação da ciência. Objetivos Científicos: – Contribuir para a produção de energia de maneira sustentável e reduzir o consumo; – Desenvolver materiais nanoestruturados, optimizando as suas propriedades no sentido de melhorar o seu desempenho e durabilidade, mesmo sob condições operacionais adversas; – Reduzir custos e otimizar a produção, tanto em termos de produtos como de processos, dando uma especial atenção à inovação tecnológica e à utilização racional dos recursos naturais, incluindo água e floresta.

Resultados

No ano de 2012, a região centro registou um índice de produtividade aparente de 18,22 %, um valor abaixo do percentual nacional que se situou nos 21,63 %. Já em 2014, esta zona de Portugal apresentou 19,2 % das exportações do total nacional, com uma proporção de bens de alta tecnologia de apenas 2,0%. Nas regiões do interior, estes problemas tendem-se a agravar devido à densidade populacional, ao isolamento relativo, ao afastamento dos centros de decisão e do ambiente de negócios. A superação destas dificuldades numa região com um grande potencial de crescimento é, cada vez mais, uma questão importante na agenda do governo. Os documentos de orientação da Comissão Europeia indicam que as únicas formas de colmatar o atraso na produtividade, aumentar a capacidade de produção e a competitividade na economia globalizada passam por apostar em mão-de-obra altamente qualificada, promover a transferência de conhecimento e tecnologia da academia para a indústria, introduzindo produtos inovadores e processos de fabricação, e otimizar os processos de produção em setores tradicionais e emergentes. O conhecimento só poderá ser absorvido, se as próprias empresas investirem em inovação. Assim sendo, torna-se fulcral melhorar os canais de comunicação entre a academia e a indústria, promover a ciência produzida nas universidades para os empresários e para o público em geral. Transferência de conhecimento e tecnologia: Ao longo do período de vigência do EMaDeS, os seus investigadores estabeleceram uma relação de transferência de conhecimento e tecnologia com algumas empresas/instituições da Região Centro. Empresas/instituições da Região Centro com as quais foi estabelecida uma relação de transferência de conhecimento e tecnologia: Penteadora (Unhais da Serra); Junta de Freguesia de Unhais da Serra; Ecolã; Fundação Inatel; Skiparque; Viveiros de trutas em Manteigas; H2otel; Airborne projects; Natura IMB Hotels; ACI – Automative Compounding Industry, lda; JOALPE; ACI Portugal; Bresimar; Fitcom; Mecalbi; Schreiber; Sodecia; PSA Mangualde; Graphenest, S.A.
PT