Edit Content

grupo de artes

Investigador Responsável: Francisco Paiva

grupo de comunicação e media

Investigadora Responsável: Gisela Gonçalves

Siga-nos:

NEWSLETTER

PUBLICAÇÃO DE COMUNICAÇÃO

O Declínio do Jornalismo – Uma análise a partir da teoria política de Hannah Arendt e o seu conceito “banalidade do mal”, Vol II

Filósofa alemã, que teve de refugiar-se nos EUA pelas suas origens judias, Hannah Arendt (1906-1975) dedicou parte da sua vida a estudar as raízes ético-morais do fenómeno do “mal”, a partir da experiência do totalitarismo e do Holocausto. Associou a sua “banalidade” ao autocentramento e à incapacidade dos indivíduos em dialogar e procurar entender o ponto de vista do Outro. Estudiosa das lógicas de pensamento ocidentais, desenvolveu uma teoria política sobre as consequências complexas e nefastas no nosso tempo desse progressivo isolamento do indivíduo moderno.

A presente investigação partiu da teoria política de Hannah Arendt, com particular enfoque no conceito de “banalidade do mal”, para tentar compreender as raízes dos reconhecidos dilemas éticos-morais que dominam o exercício profissional do jornalismo. A partir da metodologia de pensamento arendtiana, nomeadamente a sua análise conceptual, procurou-se identificar aspetos do mal banal presentes no exercício da profissão do jornalismo, responsáveis por desvios do seu ideário, e as suas consequências evidenciadas no declínio da profissão. A degradação do conceito de “liberdade”, que atravessa a teoria política de Arendt, revela-se a raiz da decadência do jornalismo.

AUTORES / EDITORES

Cláudia Gameiro

COLEÇÃO

Livros de Comunicação

ANO DA EDIÇÃO

2024

ISBN

978-989-654-987-9

PUBLICAÇÃO DE COMUNICAÇÃO

O Declínio do Jornalismo – Uma análise a partir da teoria política de Hannah Arendt e o seu conceito “banalidade do mal”, Vol II

AUTORES / EDITORES

Cláudia Gameiro

COLEÇÃO

Livros de Comunicação

ANO DA EDIÇÃO

2024

ISBN

978-989-654-987-9

Índice

Ponto prévio - 11

Parte III – O pensamento jornalístico português - 15
Um diálogo dos jornalistas consigo próprios: questionário - 17
Um diálogo dos jornalistas consigo próprios: entrevistas - 101

Parte IV – (Re)pensar o “jornalismo” a partir da ação dos jornalistas - 217
Os perigos de uma comunicação condicionada pelo virtual: algoritmos e automação - 219
Os princípios da ação jornalística e o problema com a liberdade - 283

Conclusão - Contributos do conceito de banalidade do mal para a compreensão da crise e dos desafios normativos do jornalismo - 361

Bibliografia - 391
cima