Edit Content

grupo de artes

Investigador Responsável: Francisco Paiva

grupo de comunicação e media

Investigadora Responsável: Gisela Gonçalves

Siga-nos:

NEWSLETTER

Publicação de Comunicação

REDEFININDO OS GÊNEROS JORNALÍSTICOS: PROPOSTA DE NOVOS CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO

Aprender a fazer jornalismo é aprender a produzir gêneros jornalísticos. O conhecimento mais profundo dos elementos que constituem os tipos mais frequentes de composições discursivas da atividade jornalística pode implicar em maior conhecimento sobre a própria prática. Isso significa conhecimento sobre as competências empregadas para a realização da atividade, desde a produção à publicação do produto.
Com as novas mídias, surgem novos formatos, se hibridizam, se embaralham os gêneros. A noção de gênero entra, mais uma vez, em cheque. Por isso mesmo passa a ser vista com mais atenção. Alguns gêneros podem acabar, outros podem aparecer. Alguns se transformam, outros se mantêm. Com as novas mídias, as práticas discursivas passam a experimentar e produzir novos formatos, que podem se instituir ou não em novos gêneros.

Preço da edição impressa: € 20

AUTORES / EDITORES

Lia Seixas

COLEÇÃO

Livros LabCom

ANO DA EDIÇÃO

2009

ISBN

978-989-654-028-9

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to DearFlip WordPress Flipbook Plugin Help documentation.

Índice

1 Introdução

1

I A noção de gênero

1 Da essência à forma: o olhar da literatura

15

17

2 Dos estudos linguísticos à chegada na comunicação

29

3 O domínio do funcionalismo: das funções no jornalismo im-

presso às propriedades da mídia no jornalismo digital

45

II Quadro Teórico

1 Intersecções: pragmática da comunicação e análise do dis-

curso

95

97

2 O ato comunicativo: da pragmática à análise do discurso

109

3 A pragmática integrada e a teoria dos topoï

169

III Critérios de definição de gênero jornalístico

1 As lógicas enunciativas da FDJ

177

179

2 A equação da interpretação e sua força argumentativa

253

3 Jogos da identidade discursiva na FDJ

279

4 Potencialidades do mídium

301

IV Conclusões

Por uma outra classificação

313

315

Referências bibliográficas

337

Anexos

A Exemplos

B Entrevistas

357

359

369
PT